domingo, 25 de dezembro de 2011

EL CHACAL DE LA CABAÑA

Antiga fortaleza situada na entrada do porto de Havana, La Cabaña ficou conhecida como um local de torturas e fuzilamentos de opositores da revolução cubana, muitos deles ordenados por Che Guevara.


Um dos líderes da revolução cubana que começou na Sierra Maestra e na virada de 1958 para 1959 derrubou Fulgêncio Batista e sua ditadura servil aos Estados Unidos, Ernesto "Che" Guevara preferiu não se acomodar a um cargo no governo comandado por Fidel Castro e em 1965 seguiu para novas rebeliões, no Congo e na Bolívia. Acabou morto a tiros pelo exército boliviano em 1967, fiel à causa dos fracos e dos oprimidos, em todo o mundo.  Um herói, com sua boina adornada de uma estrela vermelha. O rebelde dos sonhos de todo jovem, década após década, mesmo que o regime cubano já esteja nos seus estertores.
Mas esta condição de ídolo intocável não é unânime. 
O  músico e compositor José Cónde, filho de um exilado cubano, nasceu e cresceu em Miami, onde absorveu não só a riquíssima música da ilha caribenha como todos os ritmos do caldeirão latinoamericano que convivem naquela região, afora o soul, o rythm and blues, o jazz e todos os estilos contemporâneos. Já gravou três discos com a sua banda, Ola Fresca, e um dos seus maiores sucessos é El Chacal, uma melodia baseada no clássico de Carlos Puebla "Hasta Siempre Comandante", homenagem a Che Guevara cantado como um hino entre os seus amiradores.
Só que a letra de Cónde revela uma faceta pouco conhecida do comandante: a de um chacal, animal carnívoro da família dos canídeos que durante o dia se esconde em cavernas ou na vegetação espessa e à noite sai em busca de animais mortos, base de sua alimentação.  Guevara é o chacal de La Cabaña,  a fortaleza de Havana para onde eram levados os prisioneiros do novo regime, muitos deles torturados até a morte ou fuzilados. "Como é que alguém que defendia a violência como forma de mudanças sociais pode ser idolatrado?", questiona ele.
Ouçam:



A letra de El Chacal de la Cabaña:

"Obligaron a ponerte
En historica altura
promovieron tu bravura
al mundo entero con tu muerte

Aqui se quedo tu cara
en camisetas y postales
no dicen todas las verdades
del Chacal de la Cabaña

Tu mano apreto tan furte
que sobre la historia dispara
un imagen desde Santa Clara
donde el poder te sedujo

Aristidio te siguio
hasta el dia que se cansó
Cuando te dijo que se iba
con una 32  usted lo silenció

Aqui de moda sigue tu cara
y aunque limpies la camisa hasta la entraña
no lava la sangre en las manos
del Chacal de la Cabaña

De La Cabaña fuistes el gerente
condenastes a miles al matadero
Mas te gustaba jugar guerrero
dispidiendo tu mismo los inocentes
Ahora a'y de moda está tu cara
a las mujeres que dejaste viudas le extraña
como puede estar en todos lados
el Chacal de la Cabaña

Fuistes heroe pa unos, y otros criminal
muchos conocen tu cara y causa ideal
pero por el sendero de la violencia nunca se podrá llegar
Tu passion te consumió y te covertistes en chacal

Aqui de moda está tu cara
en camisetas y postales
Y la gente no sabe las verdades
del Chacal de la Cabaña

Ya la historia ha comprovado
Que nos e gana paz con balas
En cualquier tiempo o situación
Lo que hace falta es compassión."


Os músicos estiveram entre as maiores vítimas da Cuba pós-revolucionária. Muitos dos que não conseguiram ou não puderam fugir do país ficaram desempregados e tiveram que mudar de profissão, já que os cabarés, restaurantes e bares onde trabalhavam,  frequentados por turistas estrangeiros, tiveram que fechar. Estes artistas, apesar de sua excelente qualidade profissional, também sofreram discriminação.  Na ânsia de extirpar todas as marcas do regime de Batista, até instrumentos musicais, como o saxofone, e ritmos, como o son cubano, foram proibidos no período pós-revolucionário. 
Alguns sobreviventes daquela época, como Eliades Ochoa, Compay Segundo, Ruben Gonzales e Ibrahim Ferrer, acabaram redescobertos quase 40 anos depois num trabalho de campo coordenado pelo músico Ry Cooder, que gravou com eles o histórico disco Buena Vista Social Club e o documentário  dirigido por Wim Wenders. 


A música El Chacal faz parte da coletânea Café Cubano, da gravadora Putumayo, excelente amostra da novíssima música cubana.



quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

BALAIO DE GATOS

NATAL

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

DEUS, PARA SPINOSA

Se Deus tivesse falado:
“Pára de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.

Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa.
Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.
Pára de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau.
O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.
Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho... Não me encontrarás em nenhum livro!
Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?
Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.
Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?
Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti. Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.
Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.
Eu te fiz absolutamente livre. Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro.
Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.
Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse. Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei.
E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste... Do que mais gostaste? O que aprendeste?
Pára de crer em mim - crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti. Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.
Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?
Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam. Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Te sentes olhado, surpreendido?... Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.
Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações?
Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro... aí é que estou, batendo em ti.
Baruch Spinoza.


 Bento de Spinoza, também Benedito Espinoza; em hebraico: ברוך שפינוזה, transl. Baruch Spinoza. Viveu de 24 de novembro de 1632, Amsterdã até 21 de fevereiro de 1677, Haia. Foi um dos grandes racionalistas do século XVII dentro da chamada Filosofia Moderna, juntamente com René Descartes e Gottfried Leibniz. Nasceu no seio de uma família judaica portuguesa e é considerado o fundador do criticismo bíblico moderno.

domingo, 11 de dezembro de 2011

FLAMBOYANT