terça-feira, 29 de maio de 2012

SIGAM O LÍDER!

 Aves marinhas percorrem a praia do Campeche (Ilha de Santa Catarina) depois de uma tempestade

                      (Clique sobre a foto para ampliá-la)

segunda-feira, 21 de maio de 2012

UM SONHO CHAMADO GRAVATAL


O filme Truman Show poderia ter sido feito nas Termas do Gravatal. Tem o mesmo ar irreal do enredo onde  Truman, interpretado pelo ator Jim Carrey, vive desde o nascimento numa cidade artificial construída dentro de uma bolha gigantesca para a produção de um reality show em que todos os momentos de seus dias eram registrados por câmeras onipresentes e transmitidos para todo país. No filme, todos os personagens são amáveis,  aparentemente felizes.
 O Gravatal tem o mesmo astral, mas lá tudo é verdadeiro. Deve haver uma explicação para existir um lugar onde os sorrisos brotam espontaneamente em todo lado e a boa educação é um hábito que contagia os visitantes. Talvez seja efeito das águas termais. Elas são um santo remédio para o corpo e para o espírito. 



Nas Termas do Gravatal se pode comprar boas roupas, tecidos, toalhas, cobertores e produtos eletrônicos. Tem cafés, restaurantes, um armazém natural onde se encontram todos os tipos de produtos orgânicos, bons hotéis, supermercados, restaurantes, uma igreja belíssima, lotérica, papelaria, loja de revistas e de discos. Ah, e uma rádio, a Montecarlo FM, que toca música de qualidade.
 Dá vontade de ficar - e de voltar.








ÁGUAS QUE CURAM




 A piscina e o parque do Hotel Internacional, em Gravatal, SC

Mais dúvidas do que certezas cercaram a minha primeira ida a uma estação de águas termais, em Gravatal (SC), em março de 2007. Na fila para embarque no ônibus de turismo, em frente ao Theatro São Pedro, em Porto Alegre, a idade média passava, seguramente, dos 70 anos. 
Quando o ônibus saiu da BR 101, em Tubarão, e as placas indicavam a chegada em Gravatal, meus temores de que havia pago para ficar cinco dias numa cidadezinha sem graça, num asilo para idosos, aumentaram, e fiz um plano B: retornar no dia seguinte.
A viagem continuou e, pouco depois, chegamos a uma vila charmosa, com prédios novos, ruas ajardinadas, lojas e cafés. O hotel foi outra surpresa agradável: cercado de mata e jardins, tem apartamentos amplos, bem decorados, com banheiras e TV a cabo. Era hora do almoço, e a fome pode ter ajudado a realçar o sabor daquele banquete de filés, camarões, saladas e sobremesas.
Depois de uma soneca, era hora de mergulhar na piscina de água limpíssima, que jorra continuamente vinda de 1.300 metros de profundidade. Havia idosos, casais de meia idade, moçada e muitas crianças, vindos de várias partes do Brasil. Nada a ver com um asilo. Nos dias seguintes, banhos, filmes, hidroginástica e caminhadas, almoços e jantares inesquecíveis. E água mineral no chuveiro e na torneira!
Impossível não relaxar, e querer repetir a imersão nessas águas preciosas.

               


Hotel Internacional, em Gravatal, SC


Hotel Cabanas







                                 Hotel Termas, Gravatal, SC


Os romanos sabiam o que estavam fazendo ao disseminarem estações de banho com águas aquecidas por todas as cidades do Império. Nada como uma imersão em águas mornas para relaxar. Se a água brota da terra a mais de 37 graus, melhor ainda. Tem propriedades terapêuticas que vão do alívio para artrite e reumatismo até problemas estomacais. Os hotéis de Gravatal, a 20 quilômetros de Tubarão, ao pé da Serra do Rio do Rastro, e Caldas da Imperatriz, a 30 quilômetros de Florianópolis, na Serra do Tabuleiro, proporcionam, além dos banhos em piscinas coletivas ou individuais, uma ampla programação de lazer e recreação para adultos e crianças, hidroginástica, sauna, massagens e gastronomia de alta qualidade - as refeições podem ser incluídas nas diárias.
Quatro ou cinco dias são suficientes para que pessoas estressadas e/ou doentes recuperem as energias e a saúde. 

Propriedades medicinais dos banhos: 
Reumatismos, varicosidade dos membros inferiores , no pós-traumático e no pós-cirúrgico (especialmente ortopédico), sequelas reumáticas crônicas, dermatoses, herpes zoster, abalos emocionais, hipertensão e hipotensão.


Beber a água cura diurese, intoxicações hepatorrenais, litíase do aparelho urinário e da vesícula biliar, distúrbios provocados pelo ácido úrico e inflamações crônicas das vias urinárias.
Inalar o vapor da água alivia rinites, especialmente alérgicas, asma, afecções bronquiais crônicas e bronquite dos fumantes.




Fonte termal do Gravatal 


A piscina térmica coberta do hotel Internacional



e a do Hotel Termas, em Gravatal









sábado, 19 de maio de 2012

RELAX

quinta-feira, 10 de maio de 2012

DIA DAS MÃES


O AMOR MATERNO QUESTIONADO





As mães merecem a enxurrada de homenagens e presentes que recebem no seu dia. É uma felicidade ter uma mãe amorosa, carinhosa, dedicada e compreensiva, e num dia do ano, o Dia das Mães, demonstrar gratidão a ela.
Mas nesse dia há uma legião de esquecidos: os filhos que não têm - ou não tiveram - esta felicidade. São as vítimas de mães egocêntricas, neuróticas, castradoras, psicóticas, cruéis. Nem sempre "mãe é mãe", como se a maternidade as eximisse de seus erros. 

O assunto foi pesquisado pela escritora francesa  Elizabeth Badinter, que no livro O Mito do Amor Materno, lançado em 1980,   questiona se o amor materno é um instinto, uma tendência feminina, ou um comportamento social, variável de acordo com a época e os costumes.  A conclusão: o instinto materno é um mito. Não é uma condição inerente à mulher.  





Resultado de imagem

Rose Ferreira conseguiu sobreviver à sua mãe. Teve uma infância e adolescência marcadas por agressões físicas, verbais e morais, mas com muita determinação, dedicação aos estudos
e fé em Deus, enfrentou todos os obstáculos até concluir o curso de Comunicação Social da USP e a pós-graduação em Administração Mercadológica pela ESPM. 
Mesmo independente economicamente e casada com um homem que a compreendeu e apoiou,  não se sentiu em condições de ter filhos. 
No livro "Nem todas as mães amam os filhos", Rose faz um relato sofrido e dramático sobre uma vida marcada pelo desamor.
O assunto merece uma reflexão, raramente feita, sobre o delicado tema das vítimas de suas próprias mães.